A recuperação financeira de empresas engolidas pela crise não é um processo fácil nem rápido.

Uma dívida aqui, outra ali… De acordo com o Serasa, mais de 6,1 milhões de empresas atrasaram suas obrigações financeiras em 2019.

O estudo ainda registrou um aumento de 9,5% de empresas endividadas em relação ao ano anterior.

Mas é possível, sim, sair do vermelho.

Aí você pergunta… Como iniciar a recuperação financeira do negócio, então?

Para retomar a saúde financeira da empresa, o primeiro passo é se ancorar em dois pilares: planejamento e estratégia.

Neste artigo, você irá acompanhar algumas dicas de como recuperar a saúde financeira da sua empresa e sair da crise de uma vez por todas. Acompanhe a seguir!

5 passos para iniciar a recuperação financeira do seu negócio
Para manter a empresa com as portas abertas em meio a uma crise financeira, é necessário ser um bom jogador de xadrez ou, em outras palavras, um estrategista nato.

Às vezes, a melhor alternativa é investir para iniciar a recuperação de empresas. Mas não há fórmula correta, tudo depende da situação e do histórico do negócio.

Vamos a um passo a passo para iniciar a recuperação financeira!

Passo 1 – Faça um planejamento financeiro
O primeiro passo para iniciar a recuperação financeira da empresa é fazer um planejamento financeiro.

No planejamento, você irá identificar a situação financeira do negócio, os problemas que estão colocando em risco o funcionamento e, por fim, traçará estratégias para solucioná-los.

A pergunta que deve orientar o diagnóstico financeiro é:

O que está impedindo minha empresa de crescer?
É comum ver empresas gastando mais do que arrecadam ou tendo receita insuficiente para cumprir com as obrigações de curto prazo. No plano de recuperação, serão traçadas ações que podem ser adotadas para sair da crise financeira.

Uma boa alternativa para identificar a causa do problema é começar analisando o fluxo de caixa e avaliar para onde o dinheiro está indo.

Passo 2- Analise as opções
Dependendo do problema que ocasionou as dificuldades financeiras, as opções para enfrentá-las variam.

Mas algumas medidas podem ser tomadas como:

Diminuir o tamanho do negócio
Fazer melhorias/diversificar os produtos e serviços ofertados
Cortar gastos
Expandir a empresa para outros locais
Trocar de ramo
Fechar as portas
Observe que recuperar a saúde financeira da empresa pode requerer um certo investimento.

Mas antes de aplicar seu dinheiro, tenha em mente que é preciso realizar uma análise do negócio. Nessa análise, você fará uma projeção do que a empresa produz e do que poderá vir a produzir em termos de capital.

Isso ajudará a decidir se vale a pena continuar investindo na recuperação financeira ou se encerrar as atividades não seria a melhor saída para não contrair mais dívidas.

A avaliação também pode trazer visões totalmente diferentes, identificando a possibilidade até mesmo de buscar crédito para capital de giro.

Veja este post e descubra 9 dicas para reduzir as dificuldades financeiras da sua empresa.

Passo 3- Realize uma reestruturação das dívidas
Um dos problemas mais urgentes das empresas é não ter recursos disponíveis para cumprir com as obrigações financeiras.

Daí a importância de uma reestruturação corporativa: coloque todas as dívidas no papel ou planilha, depois classifique e estude quais devem ser priorizadas, seja por grau de importância ou peso dos juros.

Os salários dos colaboradores, fornecedores e tributos são alguns exemplos. Por outro lado, é necessário determinar as dívidas que não serão pagas agora, também os passivos que serão renegociados, uma possível redução no quadro de funcionários e até revisão na precificação de produtos e serviços.

É importante avaliar de tempos em tempos os resultados obtidos com essas medidas e traçar novas estratégias. Dependendo dos resultados, a empresa precisará recorrer a um processo de recuperação judicial.

Se estiver na dúvida na hora de priorizar pagamentos, leve em consideração os seguintes aspectos:

Se seu negócio depende da matéria-prima ou de mercadorias para revenda para continuar gerando receita, priorize os fornecedores.
Se a empresa realiza vendas para governos e depende de licitações, você deve pagar as dívidas tributárias.
Caso a sua empresa tenha muitos processos trabalhistas e tenha contraído várias dívidas com instituições financeiras, é preciso focar nisso para não correr o risco de comprometer os bens e os recursos empresariais.
Sempre leve em conta o volume financeiro por credor, pois muitos terão mais custos associados com juros e multas. Observe também os credores com juros mais elevados.
Lembrando que para decidir as dívidas que serão priorizadas, torna-se fundamental contar com um profissional qualificado que entenda do assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *